29 de fevereiro de 2016

Vídeo do passeio Off Road Mad Max - Salto Botelho


21 de fevereiro de 2016

Passeio Mad Max - Araçatuba

Hoje, dia de rodar um pouco no off. Estilo Mad Max.


Era para ser um passeio só com motos, e elas foram chegando no local do encontro, tudo máquina de trilha e eu e o Alison de XTs pesadas. Também começaram a chegar as gaiolas, uma, duas, três e quatro. Perdi a conta.

Projeto de hoje: rodar por terra até o Salto Botelho, cacheira no município de Lucélia, mas com acesso por Valparaíso.

Saímos do ponto de partida atrasados, pois a galera não estava preparada, precisou de abastecimento e alguns acertos nas máquinas.

Bora rodar, saída pela Via de Acesso João Caserta, até a estação ferroviária, dali para frente tudo terra. E logo nos primeiros 6 quilômetros: primeira baixa, uma das motos morreu e não pegou mais, apesar de ter sido empurrada várias vezes, ela ficou ali mesmo guardada em uma chácara, ainda bem que uma das gaiolas tinha quatro lugares.

Até Guararapes, tudo tranquilo, modo de dizer... para um off tipo Mad Max.










De Guararapes para frente, muito problemas, gaiola vazando óleo, morrendo e quebrando. Muitas paradas para consertos.



Depois de Guararapes, no asfalto, todo mundo andando bem, tudo junto e as gaiolas agora sem problemas, bora acelerar, afinal são só 9 km.

Ao sair do asfalto para acesso a Rubiácea por terra, tudo OK, motos na frente. Paramos na primeira rua que alcançamos da cidade e... cade as gaiolas? Foi sair do asfalto e pegar terra, e uma quebrou de novo, há uns 10 metros do asfalto. Beleza, conserta, conserta, máquina mortífera funcionando... vombora, só atravessar uma ponte, andar uns 2.500 m e já chegava à Rubiácea, e... a gaiola andou 900 m e morreu em cima da ponte, tava divertido ver os caras fazendo as gambitechs, uns estressados outros totalmente desencanados.

Mas já tava ficando tarde e tínhamos que visitar o Salto Botelho ainda, e tentar almoçar no Restaurante do Lió em Mirandópolis, e era longe, a estrada estava molhada, escorregando e com lama traiçoeira em alguns pontos.

Eu e o Alison resolvemos deixar as gaiolas para trás e seguir direto para o Salto Botelho, esperaríamos o restante da galera lá. No caminho, depois de Bento de Abreu, comprei um terreno: pneu gasto na frente, tava difícil segurar a vontade própria da Negona em ir para caminhos diferentes da minha vontade.





Chegamos, Salto Botelho cheio, muita água mesmo, bem diferente da última vez que visitei abril de 2014.

Em abril de 2014, pouca água.

O lugar que tirei a foto acima hoje está totalmente submerso:





Deu tempo da gente tirar um monte de fotos e o restante da galera não chegou, resolvemos ir embora, encontrar eles no caminho e tocar para Mirandópolis. Encontramos eles na estrada de terra, para variar, com alguma gaiola quebrada. Dali a galera cansou, e resolveram voltar todos para Araçatuba.

Eu e o Alison continuamos o projeto e sob garoa e chão molhado tocamos para Valparaíso, cruzamos a cidade e iniciamos o caminho de terra, que agora era lama, até Mirandópolis. Seguimos uns 2 km, sobre um chão de sabão molhado, motos dançando demais, realmente cansativo.

Avaliamos o "custo benefício" da empreitada dali para frente, seriam 23 km até Lavínia, e depois mais 10 km até Mirandópolis, nesse terreno propício à dezenas de compras imobiliárias. Como já eram 12:30h, resolvemos abortar o caminho por terra, voltamos os 2 km que já tínhamos feito e tocamos pela Rondon até Mirandópolis.

De Mirandópolis ao Distrito de Amandaba, onde fica o Restaurante do Lió, é tudo por asfalto. Chegamos no destino por volta de 13:30h e ainda conseguimos aproveitar a hospitalidade e boa comida caseira do restaurante. E ainda, conhecemos o próprio Lió, senhor muito bem humorado e conhecedor de muita gente de Araçatuba, segundo ele, o pessoal das motocas vai muito para lá. Até foto dele em cima de uma motona touring tem na parede do restaurante.






Em Mirandópolis não poderíamos de visitar o túmulo do ilustríssimo Mestre Gentileza, figura icônica e histórica de Cafelândia (cidade Natal), Rio de Janeiro (onde ficou famoso como profeta) e Mirandópolis onde está enterrado. Para saber mais, sobre o Profeta Gentileza, >clique aqui<



Voltamos até Lavínia, por asfalto, uma estradinha legal, com algumas boas curvas.

Dali, volta para casa... tudo pela Rondon, sujos, motos sujas e todo mundo feliz pra kct, como deve ser. 

Mais uma vez, obrigado senhor pelo passeio sem problemas, só diversão.

Lembre-se:

10 de fevereiro de 2016

Aplicativo que mapeia 180 cachoeiras da Estrada Real

Este aplicativo mapeia 180 cachoeiras da Estrada Real.
O serviço, lançado essa semana, funciona como uma espécie de guia virtual, disponibilizando informações, fotos, vídeo e rotas que permitem ao usuário uma consulta prévia completa dos atrativos a serem visitados.
Clique na imagem abaixo para acessar o site e fazer o dowload.

 Clique aqui para download.