22 de janeiro de 2018

Antes de viajar vale à pena estudar um pouco o idioma

Muita confusão pode ocorrer quando não nos expressamos muito bem nas viagens, especialmente com as ditas línguas irmãs (oriundas do latim), que tem uma proximidade com o português. Na verdade, até o português de outros locais pode ser muito diferente, por sotaques e significados diferentes.



Mas os brasileiros se arriscam mesmo é quando usam o portunhol, e acabam não sendo entendidos ou até se encrencando em situações embaraçosas. Há momentos que pode até ser engraçado, mas ter pelo menos um conhecimento mínimo de algumas frases importantes e de algumas palavras especiais, pode evitar problemas em conversas, solicitações, emergências ou negociações.

Não quer dizer que, se seu portunhol for horrível, você não vá conseguir sobreviver, mas facilita bastante se tiver uma comunicação mais fácil. Portanto, não é obrigatório, mas que ajuda, ajuda!

A recomendação é estudar, nem que seja pela internet, e aprender frases que podem ser mais utilizadas e palavras com significado não óbvio na tradução.

Aqui reunimos algumas palavras que podem causar confusão e devem ser aprendidas.

Borracho - é uma pessoa bêbada, portanto, ao procurar uma borracharia (ou tentar um borrachera) você poderá será entendido como um lugar para se embriagar. Se precisar consertar um pneu, procure uma "gomeria".

Enbarazada - essa é famosa. Se refere a uma mulher grávida.

Barata - é algo de preço baixo, nada relativo ao inseto, que é "cucaracha".

Cubierta - não vai matar seu frio, peça uma "frazada". Cubierta pode ser pneu de carro (choche), que é mais comumente chamado de "neumático).

Cubiertos - são talheres. E colher = chuchara, garfo = tenedor, faca = cuchillo.

Groso (grosso) - é usado para se referir a alguém poderoso. Se quiser a se referir a um cabo da moto mais grosso, diga "grueso". Se for referir a um óleo de motor mais grosso, diga "espeso".

Exquisito - cuidado! Não se refere a uma pessoa ou algo estranho, lá é um elogio dado a algo bom, alguma coisa gostosa, boa ou bonita, ou a uma pessoa rica ou influente.

Saco - o significado é casaco. Diga "bolsa".

Mala - para nós pode ser bagagem ou uma pessoa chata. Para eles se refere a uma pessoa má. Melhor usar "equipaje" para qualquer mala, e se for falar de um chato diga que o cara é "muy pesado".

Pelado - é só um cara careca. Uma pessoa nua está "desnuda".

Pelo - é cabelo, mas se for cortá-lo procure uma "peluqueria" ou um "peluqueiro".

Picada - não se refere a um mosquito ou cobra. Pode ser um pega de carros ou, ainda,  aquele belisco  de aperitivos que se pede em bares para tomar com uma cervejinha.

Presunto - lá peça "jamón". Presunto significa suposto, por exemplo, um suposto criminoso.

Tarado - é simplesmente um bobo, imbecil ou idiota.

Sorbete - se pedir um sorbete, vai ganhar um canudinho plástico. Se quiser um sorvete peça um helado.

Suciedad - é simplesmente, sujeira. Para se referir a uma sociedade, não traduza, diga "sociedade" mesmo.

Vaga - não peça uma vaga para seu carro, pois ira pedir uma pessoa preguiçosa. Peça uma "vacante" ou uma "plaza"



E ainda, algumas palavras são quase obrigatórias para se decorar:

Donde (onde)

Mucho (muito)

Cuando (quando)

Hacer (fazer)

Haber (ter)

Bueno (bom)

Quién (quem)

Tener (ter)

Gracias (obrigada)

Gustar (gostar)

Ahora (agora)

Poner (pôr)

Venir (vir)

Chico, chica (menino, menina)

Hasta (até)

El, la, los, las (o, a, os, as)

Más (mais)

Bien (bem)

Salir (sair)

Hola (olá)

Tú (você)

O (ou)

Llevar (carregar, levar)

Si (se)

Usted (senhor, senhora)

Deber (dever)

Muy (muito)

Bajo (baixo)

Mismo (mesmo)

Tanto, tan (tanto)

Empezar (começar)

Sin (sem)

Conocer (conhecer)

Adiós (adeus)

Contento (feliz)

Siempre (sempre)

Escuchar (escutar)

Hombre (homem)

Yo, me (Eu, minha)

Sí (sim)

También (também)

Mujer (mulher)

Otro (outro)

Decir (dizer)

Malo, mal (mal)

Trabajar (trabalhar)

Nosotros (nós)

Creer (acreditar)

Él, ella, ellos, ellas (ele, ela, eles, elas)

Echar (atirar)

Sacar (remover)

Cosa (coisa)

Leer (ler)

Uma dica, para o portunhol, é ainda: escutar algumas músicas ou assistir filmes.

-----------------------------------------
Pesquisa: 

https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2014/02/07/cuidado-com-o-portunhol-veja-lista-de-palavras-que-causam-confusao.htm

http://noticias.universia.com.br/cultura/noticia/2015/06/03/1126296/precisa-saber-78-palavras-espanhol.html




17 de janeiro de 2018

ESPECIAL: 15 MÚSICAS ROCK N ROLL COM MOTOCICLETA

Por Marcelo Freire / Revista Duas Rodas

A rebeldia do rock ‘n’ roll não demorou muito tempo para se associar ao sentimento de liberdade da motocicleta, união que ficou clara principalmente a partir de “Sem Destino” (“Easy Rider”, 1969) – um filme que marcou a contracultura com a história de dois motociclistas hippies, interpretados por Peter Fonda e Dennis Hopper, que viajam pelos Estados Unidos com suas choppers. Desde então, diversas bandas e artistas do estilo se dedicaram a reverenciar a motocicleta, direta ou indiretamente, em suas canções.
A associação óbvia é com “Born to be Wild”, do Steppenwolf, música mais famosa de “Sem Destino”, e é por isso que a deixamos de fora dessa lista; você certamente já a ouviu inúmeras vezes e a proposta aqui é conhecer outras faixas. É por esse motivo que “Vital e sua Moto”, dos Paralamas do Sucesso, também ficou de fora. Dos 15 artistas “rock and bikes” que Duas Rodas separou em referência ao início do Rock in Rio 2013, um deles tocará no festival: Bruce Springsteen, no dia 21 de setembro. Veja de quais músicas você gosta e sugira outras nos comentários.
1968 – “Magic Carpet Ride” (Steppenwolf)
“Bem, você não sabe o que podemos encontrar/Por que não vem comigo, garotinha, em um passeio de tapete mágico?”
“Born to be Wild” está fora, mas tirar o Steppenwolf da lista seria injusto com John Kay e companhia. Escolhemos o segundo maior sucesso da história da banda, cheio de suingue, que convida para uma viagem psicodélica em um tapete mágico – como analogia à motocicleta, funciona bem.

1969 – “Ballad of Easy Rider” (The Byrds)
“Rio, siga seu fluxo/Deixe suas águas baixarem/Me leve dessa estrada para outra cidade”
Presente na trilha sonora de “Sem Destino”, “Ballad of Easy Rider” é a perfeita representação da liberdade e do desapego do viajante, uma marca do filme. Foi composta por Roger McGuinn e gravada também por seu grupo, o The Byrds.

1970 – “Midnight Rider” (Allman Brothers Band)
“Eu só tenho mais um dólar/Mas não deixarei eles me pegarem, não/Não vou deixar eles pegarem o ‘cavaleiro’ da meia-noite”
O Allman Brothers Band tem uma história de amor e tragédia com motocicletas – dois integrantes sofreram acidentes fatais –, e essa canção de Gregg Allman sobre o cavaleiro (ou motociclista) da meia-noite é mais uma história do fora-da-lei que tem como destino somente a estrada.

1972 – “Motorcycle Mama” (Sailcat)
“Você será a rainha da minha estrada, minha ‘musa’ da motocicleta, veremos o mundo pela minha Harley”
A desconhecida banda Sailcat, do Alabama, emplacou um “quase-hit” nos Estados Unidos em 1972 com essa serenata que convida uma jovem a fugir de casa e conhecer o mundo de moto. E que motociclista nunca quis fazer um convite desses para sua musa?

1974 – “Bad Motor Scooter” (Montrose)
“Se estiver sozinha na fazenda de seu pai, lembre-se que não moro longe (...) Então suba no seu scooter malvado e venha para minha casa passar a noite”
Muito antes de fazer sucesso solo e como cantor do Van Halen, Sammy Hagar era frontman do americano Montrose, convidando uma namorada motociclista a pegar seu scooter e visitá-lo. A guitarra “suja” e pesada de Ronnie Montrose faz alusão a um motor na versão de estúdio desse clássico dos primórdios do heavy metal.

1975 – “Born to Run” (Bruce Springsteen)
“Surgindo das grades na Highway 9/Rodas cromadas, combustível injetado, passando dos limites (...) Porque vagabundos como nós, baby, nascemos para correr”
Responsável por alavancar a fama de Bruce Springsteen, “Born to Run” é um dos hinos de estrada, fantasiando com a irresponsabilidade juvenil que se preocupa apenas com sua garota e em se divertir pelas ruas e rodovias.

1977 – “Iron Horse/Born to Lose” (Motörhead)
“Ele pilota pela estrada que não tem fim/Uma rodovia livre, sem curvas (...) Orgulhoso de suas cores, quando o cromado reluz/Em um cavalo de ferro ele voa”
O trio comandado por Lemmy Kilmister talvez tenha sido o primeiro grupo de heavy metal diretamente associado às motos – as choppers que lotam os estacionamentos das casas de show que o digam –, muito por causa desse clássico “viajante solitário” de seu primeiro disco. A letra é politicamente incorreta, claro, como é de se esperar do Motörhead.

1978 – “Hell Bent for Leather” (Judas Priest)
“Escutam o motor enquanto sentem o perigo/Rodas! Um aço brilhante e um flash de luz/Gritos! De um raio de fogo ele ataca/O inferno se curva ao coro”
Outro pioneiro do heavy metal ligado às motos é o Judas Priest, notável também por inspirar seus seguidores com um visual dominado por couro e rebites. O Judas assumiu essa identidade em “Hell Bent for Leather” que, ao vivo, é iniciada com a entrada do vocalista Rob Halford pilotando uma Harley-Davidson – tradição da banda desde o lançamento da música.

1983 – “Roll Me Away” (Bob Seger)
“Dei uma olhada na estrada para o oeste e já fiz minha escolha/Peguei minha grande máquina de duas rodas, estava cansado da minha voz/Mirei as planícies do norte e apenas despejei a potência”
Voltando aos temas mais leves do “rock and bikes”, essa canção de refrão grudento do baladeiro Bob Seger remete ao tradicional tema da liberdade estradeira e à ansiedade sobre o que pode acontecer durante as viagens.

1988 – “Ride Like the Wind” (Saxon)
“Preciso acelerar, acelerar como o vento, para ser livre de novo/E ainda tenho um longo caminho para percorrer até a fronteira com o México, então preciso acelerar como o vento”
Difícil escolher o melhor tema motociclístico dos britânicos do Saxon: “Wheels of Steel”, “Stallions of the Highway”, “Midnight Rider”, &ldqldquo;Iron Wheels” e a clássica “Motorcycle Man” são algumas opções. Mas escolhemos o cover “Ride Like the Wind” por eles terem transformado o hit pop de Christopher Cross em uma sólida canção de hard rock.


1989 – “Ride” (Joe Satriani)
“Vejo a estrada se abrir para mim, sinto o calor/Vou para onde eu quiser, quando eu quiser, tenho que ser livre/Apenas quero pegar minha moto e acelerar”
A guitarra virtuosa, repleta de solos rápidos e complicados, pode não parecer uma associação óbvia com as motos, mas Joe Satriani não se importa muito com isso e compôs esse hino estradeiro. Três anos depois, repetiria o tema motocicleta na instrumental “Motorcycle Driver”.

1992 – “Unknown Legend” (Neil Young)
“Em algum lugar, em uma rodovia deserta, ela pilota uma Harley-Davidson/Seus longos cabelos loiros ao vento/Ela fugiu metade de sua vida/O cromado e o aço que ela pilota colidindo com o ar que ela respira”
O rebelde Neil Young já havia se aventurado com mulheres sobre motos em “Motorcycle Mama” (sem relação com a já citada canção do Sailcat) e retomou o tema na balada “Unknown Legend”, sempre com seu peculiar talento para contar histórias.

1996 – “Return of the Warlord” (Manowar)
“Hora de incendiar, vocês perdedores deveriam aprender/Ninguém controla nossas malditas vidas/Fazemos o que sentimos, montados em cavalos de aço/Estamos aqui para incendiar a noite”
Os auto-intitulados “reis do metal” despertam amor e desprezo dos fãs de heavy metal por conta da postura teatral e do discurso ofensivo contra aqueles que consideram “falsos” no estilo. Nesse clipe de 1996, eles mostram paixão por motos customizadas, fãs devotos e tietes, num roteiro que mistura cromados, mulheres, cerveja e metal.

2002 – “Ghost Rider” (Rush)
“Organize esses fantasmas, carregue essa carga invisível/Siga rumando norte e oeste/Assombrando essa estrada selvagem/Como um viajante fantasma”
O motociclista, baterista e letrista do Rush, Neil Peart, já apareceu nas páginas de Duas Rodas após sua aventura de BMW R 1100 GS por Brasil, Argentina e Chile. No fim dos anos 1990, ele se curou da morte da mulher e da filha durante uma longa jornada solitária pela América do Norte, que rendeu o livro “Ghost Rider” e, posteriormente, a emotiva música de mesmo nome. Nesse vídeo, o trio executa a canção no Maracanã.

2009 – “2 Wheels Move the Soul” (Sasha & Motoroadeo MMC)
“Peter Fonda e Dennis Hopper sabiam das coisas/Vender tudo e viver da minha moto/Amo seguir a corrente, viver o momento, sentir o vento soprar/Não é o que você pilota, e sim como você roda/Quatro rodas podem mover um corpo, mas duas rodas movem uma alma”
Sasha Mullins não é exatamente uma cantora, e sim uma motociclista americana com diversos talentos. O single “2 Wheels Move the Soul” mostra que, na música, seu potencial é grande.


Alguns links do Youtube foram trocados, pois os vídeos não existiam mais.

9 de janeiro de 2018

Dicas de fotos - usando zoom para compor fotos de motocicleta

Dicas de fotos - usando zoom para compor fotos de motocicleta
Escrito por Bret Tkacs. Postado em Tech-n-Tips.

Muitas vezes ouço as pessoas dizerem: "Eu queria que minha câmera tirasse fotos assim". Como acontece com o motociclismo, a pessoa que está por trás do equipamento é o fator mais importante. Eu vi fotos surpreendentes tomadas com câmeras de telefone, e horríveis tomadas com equipamentos de fotografia de alta qualidade. Usar o zoom da câmera pode transformar o impacto das fotos que você tira. Um dos melhores usos do zoom da câmera é tornar o fundo maior ou menor para aumentar ou diminuir o impacto. Se você está procurando capturar uma paisagem inteira, a câmera precisa de um quadro mais amplo (por exemplo, sem zoom ou 18mm, como mostrado); no entanto, se você deseja que o fundo seja mais grande, mantenha o assunto (você ou sua bicicleta) do mesmo tamanho, a câmera precisa de um quadro mais estreito (por exemplo, zoom óptico máximo ou 200mm, como mostrado).


Nota técnica: muitas câmeras digitais e todas as câmeras de telefone usam zoom digital (vs. zoom óptico). O zoom digital é um processo pelo qual a câmera colhe a foto para aumentar o zoom, mas também diminui a qualidade geral da foto. Ao comprar uma câmera, você só está interessado em suas capacidades de zoom óptico.

1. 18MM

Tomada com um zoom de 18mm, esta foto maximiza a quantidade de fundo incluído, mas as motocicletas se curvam ligeiramente e o fundo parece muito distante.
2. 50MM

A foto está próxima de ser próxima ao real (como vê coisas a olho nu); O fundo ainda é amplo, mas tem um pouco "de tamanho".
3. 100MM

O fundo "cresceu" significativamente e o chão por trás das motocicletas transformou-se em uma linha fina, trazendo mais atenção às motocicletas e ao fundo.
4. 200MM

Este zoom de alta potência eliminou tudo, exceto as motocicletas e as montanhas em segundo plano, trazendo toda a atenção para o tamanho das montanhas.
Atividade de aprendizagem


Pegue sua motocicleta e coloque-a na frente de um fundo, pelo menos, a 50 metros de distância. Em seguida, sem usar zoom, preencha a metade do quadro da câmera com sua moto. Tire uma foto. Em seguida, use o zoom máximo da câmera e se posicione até a motocicleta parecer ter o mesmo tamanho no visor como o primeiro exemplo. Tire outra foto. Agora, compare as duas fotos, prestando muita atenção ao fundo.

Traduzido de adventuremotorcycle.com

7 de novembro de 2017

Ténéré 700 continua como conceito no EICMA 2017

Ténéré 700

O modelo já está quase pronto, porém a Yamaha apresentou (novamente) sua nova big trail ainda como protótipo. As mudanças em relação ao conceito anterior já começam a deixar a moto com cara de produto pronto para o mercado, mas o lançamento ficou para 2018, após a Yamaha realizar um tour mundial com esse protótipo... o que vai render muita expectativa ainda!

CRÉDITO: DIEGO ORTIZ
Foi uma grande chance perdida de lançar logo esta moto tão esperada agora, pois o mundo motociclístico está de olho nos movimentos da montadora para a T7 (nome que o protótipo levava até agora). Em 19 de agosto a Yamaha Europe lançou em seu canal do Youtube um vídeo sobre o lançamento de um modelo off road, mas onde não aparecia o veículo e prometia a revelação para 06 de setembro. Muita gente pensou que fosse o lançamento da Ténéré... porém, no dia marcado, o público conheceu um novo quadriciclo. Decepção para muitos, este episódio serviu para revelar o grande interesse do público na nova T7.

Vídeos citados: clique aqui

Com o nome de World Raid, a moto tem o motor bicilindrico CP2 de 689 cm3 e com 79 cv, o mesmo da MT-07.

Lembrando que uma T7 conceito foi lançada em 2016, agora vem este protótipo 2017, e ainda vai ter uma certa enrolação em 2018 com o tal do tour. Enquanto isso, KTM, Honda, BMW e Triumph saem na frente com novos modelos e repaginações.

Vídeos do Youtube:
1 - Yamaha Europe

2 -  OmniMoto.it


Alguns outros lançamentos do EICMA 2017:

MT 07 reestilizada:
Crédito: Diego Ortiz
BMW F 750 GS:
Crédito: Diego Ortiz

BMW F 850 GS:
Crédito: Diego Ortiz
Triumph Tiger 800:
Crédito: Diego Ortiz
EICMA: http://www.eicma.it/
Fonte: http://jornaldocarro.estadao.com.br/motos/yamaha-mostra-conceito-da-tenere-700/

28 de agosto de 2017

Flores multicoloridas cobrem deserto mais seco do mundo

Chuvas acima do normal contribuem para fenômeno de 'tapete de flores' no deserto do Atacama, no norte do Chile.

Por G1
28/08/2017 14h33  Atualizado 28/08/2017 14h33



(Foto: Martin Bernetti/AFP)
Um manto gigantesco de flores multicoloridas cobriu o deserto de Atacama, no norte do Chile, nesta segunda-feira (28). O fenômeno ocorre ocasionalmente -- principalmente entre setembro e novembro -- quando chuvas além do usual ocorrem na região.


(Foto: Martin Bernetti/AFP)

Nesse ano, cerca de 200 plantas do deserto germinaram repentinamente após dois meses de fortes precipitações.
A última vez que o fenômeno ocorreu foi em 2015.


(Foto: Martin Bernetti/AFP)
O fenômeno também é resultado do efeito El Niño, quando o aquecimento de águas do Oceano Pacífico provoca enchentes em várias partes do mundo.
O calor faz com que a água evapore, o que aumenta a quantidade de chuvas no deserto.

(Foto: Martin Bernetti/AFP)
Embora relacionado à precipitação, o fenômeno depende de uma quantidade ideal de água da chuva: não pode chover demais.

(Foto: Martin Bernetti/AFP)
O deserto do Atacama é considerado o mais seco do mundo.

(Foto: Martin Bernetti/AFP)

19 de agosto de 2017

Lançamento off road da Yamaha a vista?

A Yamaha europeia incluiu um vídeo em seu canal do YouTube que leva a crer ser um lançamento de um modelo off road em 6 de setembro. Será que o projeto T7 finalmente resultará na nova Ténéré?


Atualizando a notícia:
Neste 25 de agosto/2017 a Yamaha Europe retirou esse vídeo aí de cima do Youtube e substituiu por outro, mostrando sutilmente que o lançamento se trata de um quadriciclo, ou SSV como eles chamam.
Então... T7, por enquanto, nada. Vamos aguardar o EICMA desse ano!

O novo vídeo é esse:




E o SSV deve ser esse:





O vídeo antigo, o primeiro, continua no canal do Canadá no Facebook:



1 de maio de 2017

Site lista preço de combustível pelo mundo!

Este site promete divulgar preços atualizados de combustível pelo mundo.
Cotações históricas e atuais, listada por países e nas diferentes moedas.